Estado
Foto: Reprodução

Uma declaração do presidente estadual do PSDB, Mateus Wesp, em Passo Fundo, tornou público o que vinha sendo discutido apenas nos bastidores do Palácio Piratini: a mudança no modelo de distanciamento controlado para enfrentamento do coronavírus. Em reunião em sua residência com proprietários de arenas e ginásios esportivos, Wesp avisou que em 10 dias “o distanciamento controlado vai mudar” e que o governo estadual transferirá para os municípios a responsabilidade de decidir sobre “o abre e fecha” da economia. 

À coluna, o governador Eduardo Leite negou que esteja “jogando a toalha”, mas confirmou que estuda, sim, mudanças no modelo de distanciamento controlado:

— Não estou jogando a toalha. Mas estamos analisando uma forma de colocar mais responsabilidade para os prefeitos para promover mais engajamento. Vamos chamar uma reunião com a Famurs e associações de municípios esta semana.

A data da reunião ainda não está definida. Nesta segunda-feira (20), Leite participa do programa Roda Viva, da TV Cultura, em São Paulo, de onde só deve retornar na terça-feira.

A mudança não significa o fim do sistema de bandeiras, criticado por empresários de diferentes setores, por não dar previsibilidade. 

— Trabalho numa lógica de manutenção do sistema das bandeiras, com maior participação das regiões via associação de municípios. O Estado emite as bandeiras e oferece os protocolos — disse Leite.

Na prática, a transferência da responsabilidade para as prefeituras pode significar o afrouxamento geral das restrições, já que boa parte dos prefeitos contesta a classificação quando entra a bandeira vermelha. Mesmo prefeitos que concordam com o modelo de distanciamento controlado sentem-se obrigados a contestar porque sofrem pressões de empresários e de políticos.  

Em mensagem de áudio encaminhada aos integrantes do comitê Juntos pelo Esporte, o proprietário da Arena Cidade Nova, de Passo Fundo, relata entusiasmado o encontro na casa de Wesp, que teve a participação de pelo menos mais três donos de empreendimentos e do secretário de Esporte de Passo Fundo, Gilberto Bellaver.

— O deputado foi bastante cordial conosco, mostrou-se favorável à nossa causa — começa Diogo no áudio, contando que Wesp foi informando das dificuldades enfrentadas pelo setor, que está parado há 120 dias.

Os empresários relataram a Wesp que a prefeitura não tem autonomia para autorizar a abertura. Na mensagem, Diogo diz que a reunião com o deputado foi bastante proveitosa, fala da esperança de retomar as atividades no início de agosto e “voltar a ser feliz”:

— O deputado nos passou que o modelo vai permanecer, mas dentro dos próximos 10 dias o governador Eduardo Leite vai fazer um pronunciamento em que vai permitir que as prefeituras tenham maior autonomia em relação aos protocolos e decretos. A partir daí, podemos negociar a nossa volta diretamente com as prefeituras dos municípios, porque se depender do Estado a gente fica de mãos atadas. 

Gaúcha ZH