Geral, Segurança
Golpes online aumentaram durante a pandemia. Foto: Reprodução

Uma moradora do bairro Weber sofreu uma tentativa de golpe pelo WhatsApp na última segunda-feira, 12, em Três Passos. Conforme relatou ao Três Passos News, o estelionatário tentou se passar pelo dono da casa onde ela mora e pediu que depositasse o valor do aluguel de 500 reais na conta de uma sobrinha.

O suposto locatário disse que trocou o número do telefone e esqueceu de avisá-la, chamando-a pelo nome. A moradora desconfiou e pediu um áudio de voz. “Quando eu pedi um áudio de voz não falou mais comigo essa pessoa, por isso desconfiei, porque o dono da casa sempre busca em mãos o dinheiro, nunca fiz depósito”, disse.

“O número do telefone era da área 55 e como o golpista sabia o valor do aluguel e o meu nome?”, questionou a moradora. O caso, entre tantos outros denunciados por moradores da cidade ao Três Passos News, deverá ser registrado pela vítima para ser investigado pela Polícia Civil.

Saiba mais

O número de estelionatos aumentou 143% no Rio Grande do Sul no mês de setembro, com relação ao mesmo período do ano anterior. Em setembro de 2019 foram registrados 2.010 casos de estelionato no estado, enquanto que em setembro de 2020, foram 4.892.

Os dados foram divulgados pela Secretaria de Segurança Público (SSP) na manhã de terça-feira (13). “As pessoas estão utilizando mais a internet, para comercialização e compra e isso faz com que tenha um aumento”, explica a chefe de polícia do RS, Nadine Anflor.

Nadine acredita que dois fatores proporcionaram o aumento expressivo nos registros. “O primeiro deles é o momento da pandemia, que fez com que os estelionatos acontecessem mais, porque as pessoas estão utilizando mais, principalmente a questão de compras à distância, golpes de WhatsApp, clonagem de WhatsApp”, diz.

Para ela, o segundo fator foi a facilidade de fazer o registro pela internet. “Quando observamos que estavam aumentando os crimes, tentamos divulgar as nossas delegacias, principalmente a online, facilitando o registro pra poder buscar e identificar quem são [os estelionatários]”, diz.

A vergonha é um dos motivos que dificulta as denúncias, segundo a polícia. “Já percebemos que a vítima muitas vezes também tem um perfil de querer levar uma vantagem. Ela enxerga um preço mais barato. Ela enxerga uma vantagem que seduz. E tem vergonha de registrar depois. No registro online a pessoa não precisa se expor”, destaca.