Região
(Foto: Câmara de Vereadores de Braga/Divulgação)

Cinquenta e quatro municípios gaúchos não conseguem gerar receitas próprias nem sequer para pagar as despesas das suas Câmaras de Vereadores.

A dificuldade em arrecadar recursos locais fica evidente em um cruzamento de dados feito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) com base nas prestações de contas das 497 prefeituras.

A análise revela que dois terços das cidades (334, o equivalente a 67%) não captam nem 10% das suas receitas por meio de tributos como impostos Predial Territorial Urbano (IPTU), Sobre Serviço (ISS) e Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e outras taxas. 

Todos os 54 municípios em que as receitas tributárias próprias não conseguem bancar nem os gastos de seus legislativos têm menos de 10 mil habitantes. A população, em média, é de 2,7 mil pessoas.

 Até dezembro de 1987, o Rio Grande do Sul tinha 273 municípios. De 1988 até 2001, foram criados 224, segundo dados da extinta Fundação de Economia e Estatística (FEE).

Diversos municípios da nossa região aparecem na lista de municípios que possuem arrecadação insuficiente para bancar suas casas legislativas.

Estão na lista os municípios de Barra do Guarita, Braga, Boa Vista das Missões, Bom Progresso, Cristal do Sul, Dois Irmãos das Missões, Inhacorá, Lajeado do Bugre, São Pedro das Missões, São Valério do Sul e Vista Alegre.

Clic Portela