Estado
Foto: Reprodução

Na segunda-feira (30), o governo Argentino detectou uma nova nuvem de gafanhotos que estaria a poucos quilômetros do Rio Grande do Sul. Esta seria uma espécie diferente da que se aproximou do Brasil em agosto.

Em entrevista à Uirapuru, o chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Ricardo Felicetti, disse que a espécie é conhecida como tucura e não costuma se locomover a grandes distâncias.

Tendo em vista as condições climáticas predisponentes, são esperados surtos de outras espécies de gafanhotos na região do noroeste do estado.

Ainda segundo ele, equipes estão monitorando e atuando diretamente na fronteira, visando a detecção de surtos. A proximidade da nuvem preocupa.

A infestação pode ocorrer no estado, conforme Felicetti a similaridade das condições climáticas da região favorece a infestação.

A chuva prevista para os próximos dias é um bom indício para que não ocorra uma infestação.

Felicetti explicou que a chuva age de duas formas: após um período de seca, a chuva proporciona a germinação dos ovos de gafanhotos, contudo, após a germinação dos gafanhotos, a chuva tende a retardar o desenvolvimento do inseto.

Rádio Uirapuru