Especial
Moradores avistaram o animal ao voltar para a cidade.. Foto: Arquivo/Rodrigo Oliveira/TP News

No próximo dia 25 de março. vai completar cinco anos o caso de uma cobra de mais de 3 metros de comprimento vista por pelo menos cinco pessoas no final de uma manhã de quarta-feira, no ano de 2015, em Três Passos. A história viralizou e até hoje ainda é lembrada por muitos leitores do Três Passos News.

A serpente, que chegou a ser cogitada como uma suposta sucuri, foi vista à beira da estrada na descida para Lajeado Três Passos, distante um quilômetro da cidade, por um motociclista que parou no local e, em seguida, por uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde, que retornava do interior.

Foto: Arquivo/Rodrigo Oliveira/TP News

Em um vídeo de aproximadamente um minuto, filmado pelo agente de saúde na época, Rodrigo Oliveira, a cobra rastejava pela mata próximo à margem do Lajeado Cascatinha, parando, levantando a cabeça e, ao notar que estava sendo observada, deixando o local em direção ao riacho. O vídeo foi perdido pelo autor, mas ficaram as fotos e o testemunho daqueles que a avistaram.

Conforme o motociclista, que avistou primeiro o animal, a serpente de cor preta podia ser um filhote. Moradores das proximidades do rio Turvo, entre Tenente Portela e Três Passos, afirmaram já ter visto uma cobra enorme, que não tem lugar fixo e se desloca na região em busca de alimento, e acreditavam ser uma sucuri.

Foto: Arquivo/Rodrigo Oliveira/TP News

No início de fevereiro daquele ano, ressurgiu a história de que existia uma cobra gigante no rio Turvo.  E não é difícil encontrar um morador nas proximidades que não a tenha visto ou ouvido falar da suposta sucuri. Lenda ou não, de tempos em tempos, a história ganha um novo e misterioso capítulo, instigando o imaginário dos moradores de Três Passos e da região.

Cinco anos depois, não se sabe se a cobra gigante vista naquele dia, que poderia ser da espécie caninana, segundo um biólogo da URI que tomou conhecimento do fato, voltou a aparecer para moradores na localidade.