Polícia
Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) realiza operação na manhã desta quinta-feira, 17, com alvo na empresa Unick. É investigada suposta fraude envolvendo o mercado de moedas virtuais. A operação é feita na sede da empresa, no município de São Leopoldo. As informações são de Gaúcha ZH.

Dez mandados de prisão, mais 50 de busca e apreensão são cumpridos. É também a segunda operação contra a empresa, atuante com criptomoedas. Em maio, a Operação Egypto prendeu os sócios da Indeal, bem como os bens da empresa foram bloqueados.

A Justiça aceitou denúncia do Ministério Público Federal (MPF), tornando réus 15 pessoas acusadas de envolvimento no esquema. Relatório da Receita Federal anexado ao processo aponta dívida de R$ 1,1 bilhão a mais de 23 mil clientes.

Foto: Divulgação

Entenda o caso na região

No mês de agosto, a Polícia Civil de Crissiumal indiciou seis pessoas por envolvimento em um esquema de pirâmide financeira, através de um escritório da Unick Forex, que estaria negociando contratos irregulares. Os indiciados são os que praticavam as atividades na cidade, segundo a polícia. As informações são do JNH.

O inquérito apurou crime contra a economia popular através de pirâmide financeira, quando os envolvidos iam colocando mais gente para dar mais lucro. Depois se evidenciaram mais delitos, que envolviam lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro, de atribuição da Justiça Federal.

O escritório da Unick em Crissiumal foi aberto em janeiro e fechado por ordem judicial no final de fevereiro. Nesse período, cerca de 300 moradores da região foram arrebanhados para o esquema, inclusive de Três Passos.