Polícia
Foto: Evandro Santos

A Polícia Federal (PF) instaurou um inquérito para investigar o conflito entre indígenas registrado na reserva de Inhacorá, no município de São Valério do Sul. De acordo com as informações iniciais repassadas por Brigada Militar e Polícia Civil à PF, a motivação para o confronto seria o resultado da eleição do último domingo (15).

A Polícia Federal confirmou ainda que, nos próximos dias, um dos indígenas envolvidos no conflito será ouvido.

O incidente teria se iniciado na noite de segunda-feira (16) e seguido ao longo desta terça-feira (17). Segundo as autoridades locais, mais de 100 índios deixaram suas casas fugindo dos ataques e foram para a aldeia Vila Nova, localizada a 10 quilômetros da reserva. Pelo menos oito deles precisaram de atendimento médico por conta de ferimentos provocados por pedras, pauladas e, até mesmo, golpes de facão. A reserva Inhacorá é moradia de cerca de 1,4 mil indígenas.

O atual prefeito de São Valério do Sul, Vladimir Antonio Vettorato, do PT, que buscava a reeleição preferiu não se pronunciar, pois não tinha conhecimento do ocorrido.

O prefeito eleito Professor Idilio, do PP, no entanto, afirma que o confronto foi motivado pelo resultado das urnas, pois a liderança da reserva não está ligada ao mesmo grupo partidário. Ainda segundo Idilio, esta não é a primeira vez que um incidente do tipo é registrado no município.

— Essa situação não é inédita na reserva do Inhacorá. É a terceira vez que o grupo que comanda o local perde a eleição e age da mesma forma. Estamos muito preocupados com o que pode ocorrer nas próximas horas, com a possibilidade de novos confrontos — afirmou o prefeito eleito.

O Cacique Adilson Policena confirmou que houve conflito, mas que o fato foi isolado e envolveu apenas duas famílias. A briga teria ocorrido durante a madrugada do dia, 17, após algumas pessoas ingerirem bebida alcoólica em excesso, disse ele.

Ainda de acordo com o Cacique, entre os feridos, duas pessoas precisaram ser encaminhadas ao Hospital Bom Pastor, devido a gravidade dos ferimentos.

Sobre as informações de que grupos organizados estariam indo de casa em casa praticando vandalismo e expulsando os indígenas apoiadores do prefeito eleito, o Cacique negou a informação, e reforçou que o conflito em questão não tem motivação política.

O cacique Policena concluiu dizendo que a situação na Área Indígena está sob controle.

A Brigada Militar informou que foi ao local, para garantir a segurança na aldeia.

Em entrevista a Rádio Querência FM no último domingo, a Draª Evelise Mileidi Boratti Juíza Eleitoral da 107ª Zona Eleitoral disse que houveram diversos problemas no período eleitoral na aldeia, inclusive com atentados e bloqueios de estradas para dificultar a chegada das urnas eleitorais.

GZH/Rádio Querência