Estado
Foto: Agencia RBS

Ao contemplar uma paisagem em qualquer mirante posicionado a 360 metros de altura, o mínimo que se espera é estar com os pés firmes no chão, não é mesmo? Bom, por aí pode-se começar a explicar o quão singular é a experiência de visitar a Skyglass Canela. A nova atração turística do município da Região das Hortênsias oferece a deslumbrante vista do Vale da Ferradura a partir de um monotrilho suspenso, que percorre a parte inferior de uma imponente plataforma de vidro que avança sobre o vale. 

O atrativo, que inaugura para o público nesta quinta-feira, é o primeiro do gênero na América Latina. A inspiração vem de duas outras plataformas em aço e vidro semelhantes, ambas chamadas Sky Walk (ou “passeio no céu”): uma sobre o Grand Canyon, nos EUA; outra na província de Guandong, na China (essa com o toque sádico de simular rachaduras conforme o peso do visitante). A plataforma acrescida do passeio de monotrilho, contudo, é a primeira que se tem notícia no mundo.

Realizamos a primeira viagem teste no Abusado! 😃 E quem esteve presente adorou!E ai, você está preparado para dezembro encarar esse desafio?? 😲Inauguração dezembro de 2020!edição: Duda Idalino#skyglasscanela #parquedecanela #parquedaferradura #canela #serragaucha #ceudevidro #vistalinda #canelars #partiuskyglass #eunaskyglass #turismors #turismobrasil #brasil #produtonacional #riograndedosul #viajar #instatravel #travellovers #abusado #abusadoskyglasscanela #abusadoskyglass #uniconomundo

Posted by Skyglass Canela on Wednesday, October 7, 2020

Passear nas alturas com os pés balançando e a sensação de flutuar é o ponto alto da visita a Skyglass. Não dura mais do que três minutos, mas é suficiente para encantar os olhos com a vastidão verde apenas cortada pela água do Rio Caí em formato de ferradura. Também é possível enxergar, pequenininha, a bela queda d ‘água da Cascata do Caçador. É proibido sacar o celular para fotografar (preocupação menor com o prejuízo, maior com o dano ambiental), e convém amarrar bem os cadarços e talvez tirar os óculos. Mas não é que balance tanto assim.

Na última segunda-feira, quando o passeio abriu para convidados do segmento turístico e da imprensa, Maribel Nunes, 36, e a filha Sofia, 11, experimentaram o monotrilho. Na saída, a mãe descreveu a sensação:

_ Fiquei um pouco enjoada no começo, mas gostei muito. Depois que passa o medo, a gente solta os braços e a sensação é de muita liberdade. Recomendo. 

A gerente comercial da Skyglass, Manoela Scott, se orgulha de ser a recordista de passeios no Abusado. Até segunda-feira ela já contabilizava 42 percursos no monotrilho, construído para suportar até 700 quilos em cada uma das 10 cadeiras.

– Acho muito bacana porque os pés pendurados dão uma noção de altura totalmente diferente. Dá um frio gostoso na barriga, mas é muito tranquilo, porque foram realizados inúmeros testes de segurança e temos diversas alternativas de resgate, em caso de queda de energia elétrica – afirma. 

Embora possa dar alguma sensação de vertigem no começo, o passeio por sobre o mirante em vidro também é recompensador. Ao caminhar sobre o piso transparente, o visitante tem sob seus pés a vista privilegiada do Vale da Ferradura, estando 35 metros além da borda do paredão. Da mesma forma que no monotrilho, não é permitido fotografar na plataforma, porém uma funcionária se encarrega de fazer o registro com câmera própria.

– A gente sente nestes primeiros dias que as pessoas têm muito medo de pisar no vidro, o que é natural. Mas é um vidro com quatro lâminas de 10 milímetros, sendo que no meio delas tem a mesma película usada nos carros blindados. Cada uma suporta 500 quilos por metros quadrados. É muito seguro. As pessoas podem vir sem medo algum, porque a gente preza muito pela segurança – atesta o diretor-geral da Skyglass, Fabrício Medeiros.  

Estimada em R$ 30 milhões, a Skyglass é a primeira investida na Serra de um grupo empresarial catarinense. Foram dois anos de estudo e adaptação às exigências ambientais até o início das obras, em dezembro do ano passado. Após ter gerado quase 300 empregos indiretos durante a construção, 100 empregos diretos foram criados para o funcionamento do parque. 

Foto: Agencia RBS

Com capacidade para receber três mil pessoas por dia, o parque ainda conta com lojas e praça de alimentação, além de extensa área verde. Outro atrativo é o Memorial do Ferro de Passar, que abriga mais de 300 exemplares de diferentes origens e épocas, muitos pra lá de curiosos em seu acabamento ou maneira de funcionar. 

Durante a pandemia, a operação irá se dar com 25% da capacidade de público e atenção aos protocolos sanitários, como uso de máscaras, higienização dos equipamentos e controle de distanciamento. 

Serviço
Onde: Estrada Municipal CNL 350, 9800 (próximo ao Parque do Caracol), zona rural de Canela
Horário de funcionamento: diariamente das 9h às 17h30min
Ingressos:
Entrada no parque: R$ 40
Plataforma: R$ 60
Abusado: R$ 90
Combo 1 – entrada + plataforma: R$ 90
Combo 2 – entrada + Abusado: R$ 120
Combo 3 – entrada + plataforma + Abusado: R$ 170
(meia entrada para crianças, estudantes e idosos, exceto no Abusado)

Gaúcha ZH