Polícia
Foto: Arquivo Pessoal

O desaparecimento de uma dentista de Tupanciretã, na Região Central, neste fim de semana é investigado pela Polícia Civil. Bárbara Machado Padilha, 32 anos, sumiu ao entardecer deste sábado (10). Ela teria sido vista pela última vez em Santa Maria – a cerca de 100 quilômetros do município onde reside.

Segundo a mãe, Magda Machado Padilha, 52 anos, Bárbara esteve no escritório do marido, que é advogado em Tupanciretã, e depois teria seguido sozinha caminhando para a casa deles. Após, não foi mais localizada pelos parentes. O marido contou à família que chegou em casa cerca de duas horas depois e não localizou a esposa. Na residência, foram encontrados a bolsa dela, com documentos, como Carteira Nacional de Habilitação (CNH), chaves da moradia, cartões e dinheiro. Os familiares tentaram contato com Bárbara por telefone, mas não conseguiram.

 — Saiu só com a roupa do corpo e celular. Ela é uma filha responsável, excelente dentista, tem uma clientela imensa. Não tem motivo para desaparecer. Ela está muito bem, no casamento, no trabalho. É muito amada, inteligente. Não demonstrou nenhum indício de depressão, nada. Passamos a noite inteira procurando por ela, só quero a minha filha de volta — relatou a mãe, em desespero.

  A mãe contou que a filha teria embarcado em um veículo de aplicativo e seguido em direção a Santa Maria. A dentista teria pago R$ 230 pela corrida e desembarcado em um posto de combustíveis, onde teria lanchado e depois embarcado em outro automóvel. As informações não foram confirmadas a GZH pela polícia.

O delegado regional Sandro Meinerz informou que, neste momento, prefere não detalhar alguns pontos da investigação, para não atrapalhar o caso. O policial confirmou que o último paradeiro rastreado da dentista é Santa Maria. Disse ainda que é apurada a possibilidade de ela ter deixado Tupanciretã por conta própria, mas ressaltou que nenhuma hipótese deve ser descartada.

 — Temos essa informação de que ela estaria em Santa Maria. Preciso esperar a investigação evoluir. Não se sabe o que teria levado ela a sumir. Tem uma boa profissão, em tese boa situação econômica, não possui relações conflituosas, nem histórico de tratamento psicológico. Pode ter saído por conta, mas o porquê ainda não se sabe — afirmou.

Ainda conforme o delegado, não há indicativos de que a dentista possa ter sido vítima de um assalto, por exemplo. Isso porque os objetos de valor, cartões e dinheiro foram deixados em casa. A polícia está ouvindo pessoas próximas dela para tentar descobrir algum possível paradeiro e o que pode ter motivado o desaparecimento. Quando sumiu, Bárbara estaria vestindo calça jeans, camisa azul, bota preta e máscara branca. Segundo a família, ela não tem histórico de sumiço anterior.

 — Quem tiver qualquer informação, ajude. Estamos desesperados — apela a mãe.

 A polícia pede que informações sobre o paradeiro da dentista sejam repassadas à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Santa Maria, pelo telefone 55-3221-2809. Também é possível repassar informações pelo Disque Denúncia: 181.

GaúchaZH