Polícia
Foto: Reprodução/Eduardo Cover Godinho

O fim da angústia, infelizmente não da forma como familiares, amigos e a comunidade serafinense gostariam que fosse. Após 22 dias de um trabalho intenso de investigação, agentes das Delegacias de Polícia Civil (DPs), de Serafina Corrêa e Guaporé, coordenados pelo delegado Tiago Lopes de Albuquerque, localizaram no meio da tarde da quinta-feira, dia 26 de agosto, o corpo de Daniele Dos Santos Camargo, 23 anos.

A jovem havia desaparecido na manhã do dia 4 de agosto e, durante três semanas e um dia, os policiais, com apoio do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS), voluntários do Serviço Civil Auxiliar de Bombeiro (SCAB) e população, efetuaram buscas, baseadas na trajetória de deslocamento do automóvel do ex-namorado, de 40 anos. A serafinense foi encontrada enterrada em uma área na localidade de Caçador, zona rural do município. O trecho liga Serafina Corrêa a cidade de Nova Araçá.

“Trabalhávamos, desde o início da investigação, com a hipótese de que a jovem havia sido morta pelo ex-namorado. Em menos de dois dias, diante da atividade eficaz dos policiais, prendemos temporariamente o principal suspeito, apreendemos celulares e o automóvel utilizado no crime. Infelizmente, naquele momento, não conseguimos lograr êxito na localização do corpo da Daniele. Porém, continuamos juntando provas, analisando imagens de videomonitoramento e ouvindo testemunhas. Todas as evidências apontavam para o crime de feminicídio, fato que foi confirmado”, disse Albuquerque.

O delegado complementou: “Não gostaríamos de ter encontrado a jovem sem vida. É triste para todos nós mas encerra a angústia da família”.

Na quarta-feira, dia 25, peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP), confirmaram que o sangue encontrado dentro do veículo do ex-namorado era de Daniele.

Rádio Aurora