Polícia
Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil catarinense, em uma operação conjunta entre as delegacias de Pescaria Brava, Jaguaruna e Laguna, com o apoio da Brigada Militar de Tubarão, estourou um abatedouro irregular de animais situado no Sítio Novo, em Imaruí, Sul do Estado. Dois homens foram autuados em flagrante. Os presos confessaram que cortavam e revendiam carnes de cavalos para a comercialização açougues da cidade de Tubarão.

Após investigações sobre furtos de gado na região (abigeato), foi descoberto um possível local onde esses animais estariam sendo abatidos e cortados para a venda. Policiais civis de Pescaria Brava e Jaguaruna receberam a informação de que dois homens estariam atuando no abate irregular de equinos.

Ao chegarem no local, os agentes flagraram os dois homens carneando um animal içado, dois barris com carnes já selecionadas e restos de animais. Os suspeitos informaram que os referidos animais não eram bois, mas sim cavalos, e que seriam destinados a um açougue pelo valor de R$ 7,00 o quilo.

Horas antes do flagrante, os homens confirmaram que dois equinos haviam sido abatidos e os restos descartados em um terreno próximo, que supostamente teria cerca de 30 carcaças enterradas. Cerca de 450 quilos de carne foram apreendidos no local.

Autuação e liberação

Os homens foram conduzidos à delegacia de Laguna, onde foram autuados em flagrante pelos crimes de maus tratos contra animais e crimes contra as relações do consumo. Eles passaram por audiência de custódia e receberam a liberdade provisória pela Justiça.

Em depoimento, os homens chegaram a afirmar que um dos açougues mais tradicionais de Tubarão era cliente assíduo do abatedouro, e que grande parte das hamburguerias da região faziam uso do produto. Pelo menos de três a seis cavalos eram sacrificados por dia.

O Diário