Saúde
Rateio entre municípios não cobria despesas do SAMU. Foto: Arquivo/TP News

Prefeitos e representantes de Bom Progresso, Esperança do Sul, Humaitá, Tiradentes do Sul e Três Passos, reuniram-se em Três Passos, nesta terça-feira, 20, para tratar sobre o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU. O encerramento dos serviços ocorreu no dia 24 de julho, ficando desassistidas as populações de Bom Progresso, Crissiumal, Esperança do Sul, Humaitá, Sede Nova, Tiradentes do Sul e Três Passos. Os sete municípios, somados, possuem 55.971 moradores, conforme dados do IBGE.

Os gestores municipais deverão discutir em uma próxima reunião a proposta de repactuação dos serviços do SAMU que será enviada pelo município de Três Passos, que detém o convênio com o Estado, e pelos municípios participantes, Bom Progresso, Esperança do Sul, Humaitá, Sede Nova e Tiradentes do Sul. A expectativa é de que em um prazo de 60 dias possa se retomar o atendimento, segundo a Assessoria de Comunicação da prefeitura.

O que diz o Hospital de Caridade

Já o Hospital de Caridade, que devolveu a ambulância à prefeitura, afirmou que não é responsável pelo fim do serviço e tão pouco “perdeu” o SAMU, por mais que tenha tentado por quase 10 anos, apesar de todos os esforços, não conseguiu mais suportar o déficit – e não atrasos – de mais de 800 mil reais acumulados ao longo desse período e assim devolveu a referida gestão ao município, que é a entidade responsável e capaz de encerrar ou não a habilitação deste serviço junto ao Estado.

Repasse de apenas R$ 2.886,07 dos municípios ao HCTP inviabilizou SAMU

Com uma população estimada em 2018 de 23.963 habitantes, Três Passos participava no custeio do Samu com apenas R$ 1.050,81 até fevereiro deste ano, conforme informação do Hospital de Caridade. Tiradentes do Sul (5.796) contribuía com R$ 682,95, seguido de Humaitá (4.798) com R$ 501,81, Esperança do Sul (2.969) com R$ 348,09 e Sede Nova (2.924) com R$ 303,04, chegando a apenas 2.886,07 mensais. Completavam ainda o rateio R$ 10.232,09 de Incentivo Estadual e R$ 13.125,00 de Incentivo Federal, totalizando R$ 26.243,79.

Já em Redentora e em Tenente Portela, onde seguem ativas outras duas bases do Samu, na Região Celeiro, a contribuição dos municípios é bem maior. Redentora, por exemplo, com uma população estimada pelo IBGE em 2018 de 11.527 habitantes, além da parcela mensal no valor de R$ 8.000,00 e um repasse anual de aproximadamente R$ 25.000,00 (13° salário), acaba ainda repassando durante o ano valores extras para cobrir eventual necessidade.

Por outro lado, Tenente Portela, com 13.538 moradores, pouco acima da metade da população de Três Passos, repassa mensalmente ao Samu o valor de 9.918,00. Em seguida aparece Miraguaí (4.824) com R$ 3.534,00; Barra do Guarita (3.238) com 2.372,00; Derrubadas (2.852) com R$ 2.090,00; e Vista Gaúcha (2.847) com 2.086,00. O valor total do rateio chega a R$ 20.000,00, bem acima dos 2.886,07 que vinha recebendo o Samu de Três Passos, uma diferença de R$ 17.113.93.

VEJA TAMBÉM