Internacional
Argentinos estão proibidos de sair do país. Foto: TP News

Grande preocupação foi gerada na sociedade de El Soberbio pela suposta participação de jovens locais em uma grande diversão que aconteceu no último fim de semana na praia “Prainha do Cascalho”, na margem brasileira do rio Uruguai, a poucos quilômetros a montante do rio.

Esta diversão, como uma “prévia de verão”, durou de sábado a domingo e também estiveram presentes jovens de outras localidades missionárias próximas.

O ponto de encontro é uma pequena praia formada por pedras redondas e seixos do tamanho de mármores, e não areia como de costume. Não é uma área grande, mas basta para passar dias quentes à beira do rio e praticar esportes náuticos.

O fato é que nas últimas horas começou a circular por El Soberbio a versão de que um grupo de jovens daquela cidade teria ido passar o fim de semana – marcado por dias muito quentes – naquela pequena “prainha”.

Os cariocas garantem que as “canoas” de madeira construídas artesanalmente e movidas a motores passaram centenas de vezes entre as duas ravinas do Uruguai, no auge daquele lugar, evacuando 11 pessoas que desafiavam a pandemia COVID-19 para participar da diversão de verão.

É que nas cidades brasileiras mais próximas a El Soberbio, Tiradentes do Sul e Três Passos se acumulam mais de mil casos de coronavírus, mas a passagem de uma para a outra margem do rio é comum nesta área, onde o controle da prefeitura é escasso A Naval Argentina e a Gendarmería Nacional e até as autoridades locais denunciaram repetidamente a permeabilidade da fronteira.

De fato, a principal reclamação da população de El Soberbio nas últimas horas, após conhecer as reclamações de participação da juventude local nesta grande diversão, é que os controles de fronteira não são eficazes, já que em geral a Prefeitura concentra à noite para evitar o contrabando de mercadorias, mas não fazem vigilância rigorosa durante o dia e nem nas áreas mais remotas da cidade.

Com informações de Primeira Edicion