Tempo
Foto: Reprodução

A chance é grande para uma massa de ar polar avançar e trazer o primeiro frio mais intenso para todo o Centro-Sul no início de Abril.

Este início de outono foi marcado pelo tempo seco e quente que predominou durante Março, devido à atuação de uma bloqueio atmosférico já no início do mês, que proporcionou temperaturas extremamente elevadas no Centro-Sul do Brasil, agravando o cenário de estiagem no Rio Grande do Sul.

Um dos principais fatores responsáveis foi a Oscilação Antártica (AAO), que saiu de uma condição de neutralidade e passou a ter uma tendência positiva, favorecendo o deslocamento do trem de baixas pressões mais para sul e, consequentemente, a aproximação da Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) do leste do Brasil.

O enfraquecimento do bloqueio, só foi se dar no final da semana passada, com o avanço de uma frente fria, que hoje se encontra mais afastada no oceano, mas que está contribuindo para chuvas nas regiões mais ao norte do leste do Nordeste. Com esse deslocamento tão amplificado, uma massa de ar mais fria conseguiu avançar também mais ao norte, porém se manteve mais no oceano, proporcionando temperaturas mais amenas e sensação agradável no centro-leste de Santa Catarina até o sul da Bahia.

A previsão é que as chuvas diminuam de intensidade no Centro-Norte e que o tempo firme predomine no restante do país, com temperaturas em elevação, principalmente, no Rio Grande do Sul, onde as máxima podem passar dos 35°C no oeste do estado.

A chegada da primeira massa de ar frio intensa

Acima foi relacionado às condições meteorológicas com a AAO. Agora não será diferente. Esse fator é extremamente importante e influente, principalmente quando se trata de um período de neutralidade para o El Niño – Oscilação Sul (ENOS). No gráfico que mostra o comportamento registrado do índice (linhas pretas) e a previsão (linhas vermelhas), pode-se observar que a AAO passa a ter uma tendência negativa, se aproximando da neutralidade, o que já é o suficiente para que sistemas frontais e massas de ar mais frias consigam avançar mais facilmente pelo Cone Sul da América do Sul. Uma vez, também, que já estamos em um período que já se espera essas primeiras incursões mais intensas.

Pelo mapa de anomalia de temperatura em superfície do modelo CFSv2, massa de ar polar atinge o Paraguai, a Argentina, o Uruguai e o Rio Grande do Sul na virada de mês e durante a primeira semana de Abril. Já a partir da segunda semana, o sistema atua em todo o Centro-Sul. No momento, é difícil de determinar os valores exatos das temperaturas mínimas, porém, a chance é alta para a ocorrência de geada na Serra Catarinense e Gaúcha.

O Tempo