Polícia
Golpista, se passando por sua chefe, pediu 1.400 reais. Foto: Ilustração

Uma professora três-passense, que trabalha no município de Tenente Portela, relatou ao Três Passos News nesta quinta-feira, 10, que sofreu tentativa de golpe pelo WhatsApp. Uma pessoa se passando pela diretora da escola onde trabalha entrou em contato pelo aplicativo, pedindo-lhe dinheiro emprestado. “Pediu como estava, se tinha muito trabalho, e eu fui respondendo. Até que pediu para fazer uma transferência e não estava conseguindo, se eu podia fazer no valor de 1.400, amanhã já ia fazer a devolução para mim. Mas disse que não tinha como. Daí me pediu para enviar no Whatsapp um SMS, que tinha recebido, e enviei, daí meus amigos que me mandaram o print acima começaram a receber a mesma mensagem pedindo dinheiro e clonado outros Whatsapp, minha sobrinha de Porto Alegre quase me enviou o dinheiro, ainda bem que ela entrou em contato, mas o Whatsapp dela foi clonado também.”, relatou a professora.

Foto: Reprodução

Polícia Civil alerta comunidade regional

A Polícia Civil alerta a comunidade para o significativo aumento dos golpes através do aplicativo WhatsApp na Região Celeiro, em especial no município de Tenente Portela.

Clone do whatsapp: ocorre no exato momento em que o usuário do aplicativo envia um código pelo whatsapp para um terceiro que solicitou, geralmente se identificando como representante de sites de negócios, que para ativar o anúncio de determinado produto, o usuário deverá encaminhar o código que foi gerado (código pode ser gerado via messenger ou mensagem de texto).

Ao ser clonado o whatsapp, o usuário deve encaminhar um e-mail para support@whatsapp.com, relatando os fatos e requerendo a solução.

Golpe do falso perfil: nessa modalidade, a fotografia da pessoa é utilizada no aplicativo com outro número de linha telefônica, não é caso de clone, mas se assemelha à falsa identidade, pois é utilizada a imagem do indivíduo para manter em erro(enganar) as vítimas.

Em ambos os casos os alvos são os amigos e familiares, ou seja, os contatos que possuem no aplicativo whatsapp e nas redes sociais, aos quais são solicitados depósitos pecuniários na forma de empréstimo.

A Polícia Civil dá dicas simples de como prevenir o golpe:

inicialmente não remeter códigos de qualquer natureza via whatsapp sem ter certeza de que é seguro.

Em segundo plano, não realizar depósitos bancários sem antes realizar chamada de voz com a pessoa que pede o dinheiro emprestado. 

Uma dica mais segura e eficaz é acessar as configurações de conta no aplicativo, e habilitar a “confirmação em duas etapas”, onde o usuário cadastra uma senha com 06 dígitos, sem a qual o estelionatário não terá sucesso no clone do aplicativo.

VOCÊ VAI GOSTAR DE VER