Polícia
Foto: Polícia Civil

A operação Kicks foi realizada pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira para combater crimes de extorsão mediante sequestro praticada por uma organização criminosa de atuação interestadual. A modalidade empregada pelos bandidos seria o chamado “Golpe do Chute”, no qual os bandidos anunciavam produtos na internet. Atraídas pelas ofertas, as vítimas encontravam-se com os supostos vendedores, inclusive em outros estados, sendo então sequestradas.

A libertação delas acontece somente com o pagamento, por parte dos familiares, de uma quantia em valores exigida no pedido de resgate. O dinheiro recebido era depositado em sucessivas contas bancárias no país e até mesmo para casas de câmbio no exterior, sendo sacado em espécie. Houve o cumprimento de 29 ordens judiciais, sendo 21 mandados de busca e apreensão e outros oito mandados de prisão, em Porto Alegre, Gravataí, Igrejinha, São Leopoldo, Rio Grande e Chuí, além das cidades catarinenses de Joinville, Camboriú e Jaguaruna.

Na Capital, a ação ocorreu nos bairros Navegantes e Restinga. Bloqueio das contas bancárias e de ativos de pessoa física e jurídica foram efetuados na ação do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Entre os presos estão os dois líderes da quadrilha, capturados em Joinville. Tratam-se de um foragido há mais de dez anos e o filho dele.

As investigações começaram no ano passado. No período, 94 pessoas físicas e jurídicas foram alvo dos policiais civis. O núcleo principal da quadrilha estava nas cidades catarinenses de Joinville, Camboriú e Itajaí. Os agentes do Deic já identificaram 22 casos. Ao longo do trabalho de investigação, os policiais civis apuraram que parte dos integrantes da quadrilha é de remanescentes de outra organização criminosa desarticulada na operação Cotton em 2017 e que agia do mesmo modo.

Polícia Ciivl