Sexo
Foto: nd3000 / stock.adobe.com

Indispensável para ter uma vida saudável, praticar atividades físicas também contribui para a qualidade de suas relações sexuais. A novidade da vez é a importância do exercício aeróbico. Um estudo publicado recentemente no Journal of Sexual Medicine sugere que níveis mais altos deste tipo de atividade podem melhorar ainda mais o desempenho, a resistência e o desejo sexual.

O exercício aeróbico é especialmente eficaz em melhorar o sistema cardiovascular, que estimula o fluxo sanguíneo por todo o corpo, incluindo a área genital. Quanto mais saudável o fluxo sanguíneo, melhor a excitação.

Para a mulher, em especial, esse benefício é fundamental: quanto maior a irrigação sanguínea no clitóris, mais intensa é a sensação de prazer e desejo. Há um aumento também na lubrificação vaginal, que é atrelada à vascularização, afirma a ginecologista e sexóloga Cristina Helena Luz Grecco. Por essa razão, inclusive, muitos especialistas recomendam que mulheres na menopausa pratiquem exercícios aeróbicos para evitar o ressecamento vaginal.

Para eles, a principal vantagem do aumento no fluxo sanguíneo é a garantia da ereção, que também depende da vascularização adequada. É por essa razão que homens sedentários que sofrem de insuficiências cardíacas desenvolvem disfunção erétil.

Para chegar aos resultados, participantes da pesquisa percorreram a distância de uma milha (cerca de um quilômetro e 600 metros) em sete minutos, durante quatro horas por semana. Por conta da atividade, essas mulheres apresentaram 30% menos chances de desenvolver algum tipo de disfunção sexual. Já os homens que correram um trajeto igual pelo mesmo período de tempo mostraram uma probabilidade 23% menor de ter disfunção erétil. É importante ressaltar que trata-se de um grupo com um nível alto de aproveitamento físico.

Porém, isso não significa que um exercício de menor intensidade não tenha efeitos significativos na melhora da vida sexual, explica a ginecologista. Além da melhora no fluxo sanguíneo, o exercício aeróbico aumenta consideravelmente a resistência – garantindo mais fôlego e melhor controle dos batimentos cardíacos durante a relação sexual, além de maior duração do ato, garante a educadora física Samantha Antunes dos Reis.

Somado a isso, quando praticamos exercícios físicos, liberamos os mesmos hormônios que também são descarregados na relação sexual, como endorfina e dopamina, que causam sensação de prazer e felicidade no nosso organismo. Esse efeito tem relação direta com a melhora da autoestima, outro fator importante para o aumento da libido.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde é de, pelo menos, 150 minutos de atividade física por semana, reforça a ginecologista. Como principais exercícios aeróbicos, Samantha indica a caminhada, corrida, bicicleta e a dança, sua preferida:

– Atividades físicas com música, especificamente a dança, seja de qualquer tipo, fazem com que a pessoa tenha um maior conhecimento do próprio corpo. Isso também pode se refletir em uma melhora do desempenho sexual – conclui.

GZH