Saúde
Foto: Reprodução

Esta segunda-feira (17) começa com um quadro preocupante em 12 das 21 regiões em que o Rio Grande do Sul foi dividido para fins de controle da pandemia de covid-19. Pelos indicadores monitorados no novo plano do governo estadual, o grupo de trabalho Saúde recomendou ao Gabinete de Crise que sejam emitidos “alertas” às regiões com sede em Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Passo Fundo e Cachoeira do Sul. Este é o segundo A do plano, que começa por “aviso” e termina com “ação”.

Se depender dos técnicos, sete regiões receberão aviso de que o quadro exige atenção: Santa Maria, Uruguaiana, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Pelotas, Caxias do Sul e Santa Cruz. O Gabinete de Crise vai se reunir pela manhã para deliberar sobre os avisos e alertas.

Se as indicações dos técnicos do grupo Saúde forem aceitas — e os números indicam que serão —, a Secretaria de Apoio aos Municípios, comandada pelo secretário Luiz Carlos Busato, comunicará as cidades que integram cada uma das regiões sob risco.

Além das regiões assinaladas para receber as advertências, os técnicos notaram também uma elevação dos casos e internações na Região Metropolitana. Comparando-se os dados do relatório de domingo (16) com o de sábado (15) é possível perceber rápida deterioração do quadro em várias regiões, passadas mais de duas semanas da revogação da bandeira preta, que resultou em geral de atividades.

Pelo novo plano, os municípios têm autonomia para afrouxar as restrições às atividades em geral. No terceiro estágio, os municípios das regiões que receberem essa classificação deverão apresentar ao governo estadual um plano de ação, sob pena de ficarem sujeitas aos protocolos mais rigorosos.

GZH