Eventos
Foto: Divulgação/Emater

Ocorreu no dia 05 de outubro em São Martinho mais um evento relacionado ao projeto Ser Jovem Rural. Desenvolvido no município através da parceria entre Emater-RS/ASCAR, Secretaria Municipal de Agricultura, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Sicredi, o projeto teve início em maio de 2018 e tem como objetivo, desde então, incentivar a permanência dos jovens nas propriedades rurais e ainda buscar meios que permitam o reingresso destes, mostrando que é possível ter qualidade de vida, renda e empreendedorismo no campo.

O evento ocorrido no último dia 05 teve como foco mostrar aos jovens e suas famílias formas alternativas de renda que possam servir como atividade principal dentro da propriedade ou como uma renda extra para quem já tem uma produção estável e deseja um rendimento a mais.

Os palestrantes do dia trouxeram as experiências com seus empreendimentos relatando aos participantes os caminhos percorridos para alcançar o sucesso, sem precisar abandonar o meio rural. Janavio dos Santos Ferreira, do município de Chiapetta, trouxe sua experiência com a agroindústria de pescado, Agropeixe, onde explanou sobre a conciliação do emprego na cidade com a atividade agroindustrial, sobre a importância da organização da área rural a ser utilizada para atividade, sobre o processo de legalização da agroindústria e a satisfação com os resultados financeiros obtidos. Dari Lucca, do município de Crissiumal, relatou que seu início na atividade foi através da incubadora municipal e hoje está prestes a inaugurar o prédio próprio, onde conta com 23 variedades de polpas de frutas para venda, sendo comercializadas, inclusive, na alimentação escolar dos municípios. Ketruin Jardela Fuhrmann, de Campo Novo, contou que residia e trabalhava na cidade e decidiu largar toda a rotina para assumir junto com o marido a propriedade dos pais dele, onde ampliaram a produção já existente de melancia e ousaram na implantação de tomate gaúcho hidropônico e morangos semi-hidropônicos em estufa. Ketruin ressaltou a importância de uma produção livre de agroquímicos possibilitando agregar um valor maior ao produto final sendo que estes possuem uma qualidade diferenciada. Também ressaltou que não é necessário que os pais saiam da propriedade para que a sucessão rural aconteça, mas que ambos podem tocá-la juntos, e, gradativamente transfiram as responsabilidades de pai para filho.

 O projeto Ser Jovem Rural conta com o incentivo da administração municipal de São Martinho, uma vez que os mesmos estão engajados no esforço para criar alternativas produtivas para o jovem no meio rural, onde busca, juntamente com os parceiros, produções alternativas para suprir as demandas do mercado local, vendo nessa atividade uma forma de sucessão rural com alto índice de sucesso para a propriedade.

Os promotores do evento agradecem a participação dos palestrantes Janavio dos Santos Ferreira, Dari Lucca e Ketruin Jardela Fuhrmann pela ótima apresentação e pela disponibilidade em ceder um pouco da sua experiência para nossos jovens empreendedores rurais.

Assessoria de Comunicação