Saúde
Em 24 de julho de 2019, ambulância foi deixada em frente à prefeitura. Foto: Arquivo/TP News

No último dia 24 de julho, completou um ano que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu deixou de atender no Hospital de Caridade, onde funcionava desde o ano de sua implantação, em 2009, em Três Passos. Falta de regularização dos repasses pelo Estado e, principalmente, de atualização dos valores pagos pelos municípios motivaram o encerramento dos serviços.

Desde então, as ocorrências passaram a ser atendidas somente pelo Corpo de Bombeiros, que atende 15 municípios na Região Celeiro e, em várias casos, ambos atuavam juntos no socorro às vítimas, principalmente em acidentes de trânsito, socorro este que agora, em casos de ocorrências simultâneas, terá que escolher qual irá atender primeiro,

Sem o SAMU, ficaram desassistidas as populações de Bom Progresso, Crissiumal, Esperança do Sul, Humaitá, Sede Nova, Tiradentes do Sul e Três Passos. Os sete municípios, somados, possuem cerca de 55.971 moradores, conforme dados do IBGE. Três Passos, município-base que mantinha convênio com o Estado, participava no custeio com apenas R$ 1.050,81 até fevereiro de 2019, valor este simbólico se comparado com Redentora, que repassava mais de R$ 8.000,00 e Tenente Portela, R$ 9.918,00 mensais, também municípios-base.

Em outubro do ano passado, foram abertas inscrições de processos seletivos pela prefeitura municipal de Três Passos para a contratação emergencial de seis condutores de ambulância e seis técnicos em enfermagem, para atuarem junto ao Programa Samu/Salvar. A seleção foi realizada, os profissionais selecionados, mas um ano depois o Samu ainda não foi reativado.

Procurada pelo Três Passos News, através da assessoria de imprensa, a prefeitura de Três Passos não se pronunciou sobre o assunto.

Por que o Samu pode fazer a diferença na hora de salvar vidas?

Assim como o Corpo de Bombeiros, o SAMU está presente em todos os estados do país. O coordenador de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde, Paulo de Tarso, explica a diferença entre eles e ressalta a importância da parceria SAMU e Corpo de Bombeiros. ”O bombeiro faz o resgate, que é o parceiro importantíssimo do SAMU. Então se tem um acidente que você tem vítima presa em ferragem, por exemplo, se não tiver o Corpo de Bombeiros que saiba tirar essa vítima de ferragem, nós do SAMU não conseguiríamos fazer o atendimento. Então a gente trabalha em parceria com outros atores. O bombeiro faz resgate, primeiros socorros e tem uma grande experiência no atendimento ao trauma, mas, da parte específica da saúde somo nós, do SAMU.”