Dicas
Foto: Reprodução

Uma noite de sono mal dormida interfere diretamente no humor e no desempenho das atividades do dia seguinte. No entanto, nem sempre as pessoas relacionam a dificuldade para dormir com hábitos cotidianos.

“Cada vez mais pessoas encontram dificuldade para dormir, o que prejudica a saúde delas como um todo”, afirma a psicóloga Gabriella Ciardullo, da clínica Biotipo. “A mente fica cansada, a memória falha. A pessoa não rende mais no trabalho ou nos estudos, fica letárgica e o nível de ansiedade, depressão e irritabilidade aumentam”, completa.

A terapeuta sugere a técnica comportamental de higienização do sono para que as dificuldades para dormir sejam ultrapassadas. Alguns preceitos são cortar o consumo de qualquer alimento ou bebida estimulante nas seis horas anteriores ao momento de deitar, evitar tirar cochilos à noite e abandonar equipamentos eletrônicos como celulares e computadores antes de dormir.

“Os cochilos são permitidos logo após o almoço e com uma duração de até 40 minutos, caso contrário podem atrapalhar o sono. É importante estabelecer uma hora padrão para se deitar, percebendo o horário que a sonolência se inicia e evitando lutar contra ela”, explica.

Para induzir o sono, a psicóloga sugere que as pessoas incluam na rotina noturna:

– Banho relaxante;

– Consumo de bebidas quentes;

– Aromas relaxantes no ambiente;

– Temperatura agradável no quarto;

– Cama e travesseiros confortáveis e

– Definição de um horário para acordar.

“Ter um horário para acordar contribui para que as horas de sono não se excedam, o que atrapalha as noites sequentes. O comportamento vai se moldando ao longo do processo até que vire um hábito”, explica Gabriella.

O trabalho para manter um padrão de sono deve ser repetido por várias vezes até que a pessoa entre no processo de adormecimento com mais facilidade, sem a ajuda de medicações. Os resultados não aparecem do dia para a noite, por isso, uma boa estratégia é estabelecer a meta de dormir 30 minutos mais cedo a cada semana. “Não adianta querer que o processo seja rápido. Se o indivíduo costuma dormir às 23h, ele não terá sono às 21h”, afirma.

Metrópoles