Internacional
Pedras de granizo do tamanho de um ovo. Foto: Reprodução

A chamada “Tormenta de Santa Rosa” faz parte da cultura do Uruguai e da Argentina. Designa um temporal que ocorre no final de agosto ou no início de setembro. Cinco dias antes ou depois da celebração de Santa Rosa de Lima em 30 de agosto. Dados históricos mostram que não ocorre todos os anos. 

Na cidade de Buenos Aires, com registros desde 1906, a Tormenta de Santa Rosa ocorreu em 56% dos anos, especialmente nas décadas de 50 (em 8 anos) e de 90 (em 9 anos). 

Embora no Observatório Central de Buenos Aires, em Villa Ortúzar, os registros datem a partir de 1906, documentos históricos dão conta da Tormenta de Santa Rosa e sua grande popularidade entre os argentinos muitas várias décadas antes. Neste fragmento, Benjamin Gould, o primeiro diretor do Serviço Meteorológico (então denominado Escritório Meteorológico Argentino) referia-se a este evento meteorológico 160 anos atrás, também conhecido na época como “Pamperos de Santa Rosa”. 

Este 2020 vai para a lista dos anos que tiveram a tormenta. Bloqueio atmosférico mantém a instabilidade retida no Centro da Argentina e no Uruguai, alcançando parte do Rio Grande do Sul. Foi o cenário hoje com chuva no Chuí e temporais na província de Buenos Aires. Algumas tempestades na Argentina foram severas, alimentadas por correntes de vento com ar quente a partir do Norte. Fez 31,2ºC em Quaraí, 30,8ºC em Uruguaiana e 30,6ºC em Santa Rosa na tarde desta terça-feira. 

Granizo grande caiu hoje em Pehuajó, província de Buenos Aires. Outras cidades da região também tiveram o fenômeno. Em alguns locais, as pedras de gelo tinham o tamanho de ovos. 

A MetSul antecipa que no restante da semana, o Centro da Argentina e o Uruguai seguirão com condições favoráveis para granizo e tempestades fortes a severas com possibilidade de ventania. A instabilidade vai ficar concentrada nos países do Prata, mas avançará um pouco em direção ao Rio Grande do Sul a partir de quinta, atingindo mais a Metade Sul.

Por isso, a MetSul não descarta granizo nesta semana em pontos isolados da fronteira com o Uruguai, Campanha e no Sul, sobretudo nas regiões de Jaguarão, Chuí e Santa Vitória do Palmar. 

Os volumes de chuva nestas localidades nos próximos sete a dez dias devem ser muito altos com marcas de 100 mm a 200 mm, e isoladamente superiores. Parte do Uruguai igualmente terá chuva excessiva com 200 mm a 300 mm em alguns pontos.