Polícia
Foto: PC/Divulgação

A Polícia Civil cumpre, desde a madrugada desta terça-feira (19), 1.368 ordens judiciais em 28 cidades de quatro estados contra uma organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro.

De acordo com a investigação, dinheiro obtido a partir do tráfico de entorpecentes, comércio ilegal de armas de fogo, de pedras preciosas, crimes patrimoniais (roubo, furto, extorsão e estelionato) e contra a fé pública (falsificação de documentos, falsidade ideológica e adulteração de sinal identificador de veículo automotor) era “maquiado” por meio de empresas mantidas por essa facção que tem base no Rio Grande do Sul.

Estão entre as ordens judiciais:

273 mandados de busca e apreensão

66 mandados de prisão

14 casas prisionais são alvo de busca e apreensão

38 sequestros de imóveis

102 veículos com decretação de perdimento

190 contas bancárias bloqueadas

812 quebras de sigilo fiscal, bancário, tributário e bursátil

Estados e cidades em que a operação ocorre:

Rio Grande do Sul

Canoas

Sapucaia do Sul

Porto Alegre

Esteio

Eldorado do Sul

Nova Santa Rita

Guaíba

Gravataí

São Leopoldo

Novo Hamburgo

Alvorada

Sapiranga

Parobé

Campo Bom

Igrejinha

Três Coroas

Rio Grande

Caxias do Sul

Passo Fundo

Ijuí

Santa Cruz do Sul

Charqueadas

Arroio dos Ratos

Venâncio Aires

Montenegro

Lajeado

Vera Cruz

Candelária

Cruz Alta

Capão da Canoa

Imbé

Xangri-Lá

Frederico Westphalen

São Gabriel

Santa Catarina

Balneário Camboriú

Tubarão

Paraná

Maringá

Mato Grosso do Sul

Campo Grande

A investigação policial

A organização criminosa começou a ser investigada no final de 2020. Na época, havia suspeita da prática do crime de lavagem de dinheiro na Região Metropolitana de Porto Alegre por uma organização criminosa que traficava drogas.

Como resultado da investigação, houve sequestro de cerca de R$ 10 milhões em bens móveis, imóveis e valores em contas bancárias do grupo que estava sediado no Vale dos Sinos. Cinco pessoas que seriam lideranças da facção foram indiciadas por envolvimento no esquema.

A Polícia Civil conseguiu mapear a organização e, ao longo de 2021, prendeu 102 pessoas suspeitas de envolvimento no esquema. Outras 207 já foram identificadas, todas com funções específicas no grupo.

Receba as notícias do Três Passos News no seu celular:

https://chat.whatsapp.com/Fab5E1SQAqK0SxNiOmvzZU

G1 RS