Cidade
Tatiana tinha 27 dias de vida quando foi adotada. Foto: Arquivo Pessoal

Filha adotiva, a três-passense Tatiana Sulsbach, de 44 anos, residindo atualmente em Cidreira, procurou o Três Passos News na noite de segunda-feira, 7, para buscar ajuda no sentido de encontrar seus pais biológicos que ainda poderiam estar vivendo em Três Passos. “Meus pais adotivos já faleceram e só tenho uma irmã adotiva, eu tenho muito vontade de tentar buscar minhas raízes e não tenho nada que me ligue ao meu passado mais”, disse.

Tatiana. Foto: Arquivo Pessoal

Tatiana relatou que nasceu no dia 3 de maio de 1976, no antigo hospital São José, em Três Passos. Foi adotada e registrada em Humaitá pela família do professor Lauro Alberto Sulsbach e sua esposa, Cecília Regina Hermes Sulsbach. Segundo informações da época, ela teria sido abandonada no lixo do próprio hospital e, quem teria visto e falado com sua suposta mãe, teria sido o guarda do hospital na época. Ela teria pedido para ir ao banheiro e não mais retornou. “Fui deixada com 10 dias, mas a entrega aos pais adotivos ocorreu com 27 dias. Algumas vezes questionei meus pais que sempre me relataram essa história”, contou Tatiana.

Pais adotivos. Foto: Arquivo Pessoal

“…nasci em Três Passos em 1976 e fui registrada em Humaitá RS… fui adotada por uma família linda mas, infelizmente, já faleceram… meus pais nunca esconderam isso de mim mas, estou tentando descobrir minhas raízes… fui deixada no hospital São José com 10 dias e, amplamente divulgada minha adoção nas rádios na época, segundo minha mãe. Estou buscando informações sobre fatos /familiares daquela época. Se alguém souber e puder /ter conhecimento sobre isso, agradeço. Meu wats 51 992043790”, escreveu Tatiana, pedindo ajuda também nas redes sociais.