Geral
Foto: Reprodução

Uma pesquisa inédita da ONG Avaaz feita pelo Ibope aponta que um em cada quatro brasileiros resistem à ideia de tomar a vacina contra o coronavírus assim que o imunizante  for registrado.

A consulta foi realizada com mil pessoas entre 27 e 29 de agosto em todas as regiões do Brasil. Dos entrevistados, 75% disseram que tomarão a vacina com certeza, 20% afirmaram que talvez tomem e 5% relataram que não irão tomar o imunizante.  A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Houve maior índice de dúvida na faixa etária dos 25 aos 34 anos (34%) e entre pessoas da religião evangélica (36%). A pesquisa também apontou que não houve diferença significativa das respostas segundo sexo, raça/cor, escolaridade e renda.

Entre as razões para a recusa ou desconfiança na vacina foram citadas a incerteza quanto à segurança e eficácia do imunizante, além de diversas teorias da conspiração como a de manipulação genética ou implantação de um chip por meio da vacina ou hipótese de que o produto seria feito com fetos abortados.

Na última semana, uma declaração dada pelo presidente Jair Bolsonaro sobre a não obrigatoriedade da vacina o coronavírus movimentou grupos nas redes sociais contra os imunizantes.  Na ocasião, a Organização Mundial da Saúde (OMS) refutou as declarações do presidente.

GZH