Fenômeno
Relatos de barulho de explosão, paredes e janelas que tremeram. Foto: Divulgação

O fenômeno foi registrado em vídeo, por volta das 22h35 da noite desta quinta-feira, dia 6, no céu da cidade de Cruz Alta. Há relatos em várias cidades da Região Noroeste e de outras regiões do Rio Grande do Sul sobre o avistamento. Pessoas relataram barulho de explosão, paredes e janelas que tremeram.

💥 Ouviu um barulho de explosão? Sentiu algum tremor? Viu algo no céu? 🤔😱Varios municípios da nossa região estão comentando sobre o assunto, daqui a pouco traremos mais informações sobre esse possível meteorito.

Posted by Portal Assinck on Thursday, June 6, 2019

Eu avistei o fenômeno e acredito que seja um pequeno meteoro ou meteorito que se desintegrou ao atingir a atmosfera. Uma bola de fogo brilhante com uma imensa cauda que desapareceu ao se aproximar do horizonte,” escreveu Paulinho Barcelos, apresentador da Rádio Pop Rock, em sua página no Facebook.

No Noroeste, houve ainda relatos nas redes sociais que o objeto não identificado teria caído nas proximidades de Jóia/Augusto Pestana e também de tremores nestes municípios, inclusive, que o local da queda seria em Ijuí. Os relatos, porém, não se confirmaram.

De acordo com a MetSul Meteorologia, há relatos de observação de um bólido (meteoro) em grande parte do Rio Grande do Sul. Informações de avistamentos na fronteira com o Uruguai, Planalto Médio e Litoral Norte. Em cidades como Santo Ângelo, Cruz Alta, Estrela, Quarai, Soledade, Terra de Areia, Caxias do Sul, Erechim, Almirante Tamandaré do Sul, Alegrete, Guaíba, Tapera, Canoas, Ijuí, Manoel Viana, Tupanciretã, Passo Fundo, Venâncio Aires, Sapucaia do Sul, Pejuçara, Marau, Itaqui, São Martinho da Serra, Santa Vitória do Palmar, Tramandaí, Chiapetta, Cachoeira do Sul, Santa Maria, Santa Bárbara do Sul, etc. Há relatos de avistamentos também da província argentina de Misiones e do Uruguai.

Conforme observadores, o fenômeno poderia ser queda de lixo espacial. As estações da Brazilian Meteor Observation Network (Bramon) capturaram imagens do que seria, em princípio, uma reentrada de satélite, ou lixo espacial. Mas as imagens ainda estão sob análise.