Trânsito
Encerramento dos serviços sobrecarregou Corpo de Bombeiros. Foto: Reprodução/TP News

O encerramento dos serviços do SAMU, no dia 24 de julho, em Três Passos, foi assunto de uma reportagem do SBT RS, na última semana, com o governador do Estado Eduardo Leite. A falta do Samu aumentou os atendimentos pelo Corpo de Bombeiros, conforme já noticiado pelo Três Passos News. O governador discorda do valor da dívida do Estado, que seria de R$ 2.493.584,96 em programas de atenção básica, apontado pela prefeitura. Sobre o SAMU, os valores de 2019 disse que estão em dia e os da gestão passada foram parcelados. O Estado só reconhece uma dívida de R$ 443.000,00 com o município. Abaixo o vídeo da entrevista:

Segue reportagem esclarecendo sobre situação do SAMU e saúde do estado do RS.

Segue reportagem esclarecendo sobre situação do SAMU e saúde do estado do RS.

Posted by Vereador Arlei Tomazoni on Saturday, August 17, 2019

Já o Hospital de Caridade, que devolveu a ambulância à prefeitura, afirmou que não é responsável pelo fim do serviço e tão pouco “perdeu” o SAMU, por mais que tenha tentado por quase 10 anos, apesar de todos os esforços, não conseguiu mais suportar o déficit – e não atrasos – de mais de 800 mil reais acumulados ao longo desse período e assim devolveu a referida gestão ao município, que é a entidade responsável e capaz de encerrar ou não a habilitação deste serviço junto ao Estado.

Três Passos repassava apenas  R$ 1.050,81 para manter o SAMU

O encerramento dos serviços do Samu, na última semana de julho, ainda repercute em Três Passos. Ficaram desassistidas as populações de Bom Progresso, Crissiumal, Esperança do Sul, Humaitá, Sede Nova, Tiradentes do Sul e Três Passos. Os sete municípios, somados, possuem 55.971 moradores, conforme dados do IBGE.

Com uma população estimada em 2018 de 23.963 habitantes, Três Passos participava no custeio do Samu com apenas R$ 1.050,81 até fevereiro deste ano, conforme informação do Hospital de Caridade. Tiradentes do Sul (5.796) contribuía com R$ 682,95, seguido de Humaitá (4.798) com R$ 501,81, Esperança do Sul (2.969) com R$ 348,09 e Sede Nova (2.924) com R$ 303,04, chegando a apenas 2.886,07 mensais. Completavam ainda o rateio R$ 10.232,09 de Incentivo Estadual e R$ 13.125,00 de Incentivo Federal, totalizando R$ 26.243,79.

Já em Redentora e em Tenente Portela, onde seguem ativas outras duas bases do Samu, na Região Celeiro, a contribuição dos municípios é bem maior. Redentora, por exemplo, com uma população estimada pelo IBGE em 2018 de 11.527 habitantes, além da parcela mensal no valor de R$ 8.000,00 e um repasse anual de aproximadamente R$ 25.000,00 (13° salário), acaba ainda repassando durante o ano valores extras para cobrir eventual necessidade.

Por outro lado, Tenente Portela, com 13.538 moradores, pouco acima da metade da população de Três Passos, repassa mensalmente ao Samu o valor de 9.918,00. Em seguida aparece Miraguaí (4.824) com R$ 3.534,00; Barra do Guarita (3.238) com 2.372,00; Derrubadas (2.852) com R$ 2.090,00; e Vista Gaúcha (2.847) com 2.086,00. O valor total do rateio chega a R$ 20.000,00, bem acima dos 2.886,07 que vinha recebendo o Samu de Três Passos, uma diferença de R$ 17.113.93.

VEJA TAMBÉM