Geral
Foto: Reprodução

Sete dias sem energia elétrica levaram o produtor de leite Vanderson Caixeta, de Orizona (GO), ao limite. Cansado de jogar a produção estragada por falta de resfriamento na porta da fazenda, ele foi nesta segunda-feira, 14, até a central de atendimento da Enel, responsável pelo fornecimento de energia, e despejou cerca de 50 litros de leite no chão.

O problema não é exclusivo da propriedade de Caixeta. De acordo com o presidente da Comissão Técnica de Pecuária de Leite da Federação da Agricultura do Estado de Goiás (Faeg), Vinícius Correia, dos 2.500 produtores de leite do município, cerca de 240 estão tendo prejuízos por conta da falta de energia elétrica.

SEM ENERGIA ELÉTRICA POR SETE DIAS, PRODUTOR DE LEITE DE ORIZONA JOGA PARTE DA PRODUÇÃO NO ESCRITÓRIO DA ENELUm produtor rural derramou hoje, 14, 50 litros de leite na central de atendimento da Enel em Orizona, no sul de Goiás. A atitude foi a forma encontrada pelo produtor rural Vanderson Caixeta para protestar pelas constantes quedas de energia em fazendas da região.Em nota, a Enel Goiás disse que a falta de energia se deve as fortes chuvas dos últimos dias, que causaram danos à rede elétrica e interromperam o fornecimento de energia para alguns clientes. E ressaltou que trabalhava para solucionar o problema ainda nesta segunda, 14.

Posted by Oloares Ferreira on Monday, December 14, 2020

“Todo mundo da cidade me apoiou. Se eu quisesse juntar 200 produtores para jogar leite lá dentro, conseguiria. Todo mundo está sofrendo muito. A vontade de fazer isso era de todo mundo, mas ninguém teve coragem de tomar a iniciativa”, afirma Caixeta, em conversa com o Canal Rural.

Orizona é um município que vive e respira leite, segundo Correia. Extenso, o município é composto principalmente por propriedades menores. E é justamente o pequeno produtor quem mais sofre.

De acordo com o Vanderson Caixeta, o prejuízo é alto. Ele deixou de vender sete mil litros de leite — a produção é estimada em mil litros por dia — e ainda teve que arcar com despesas fixas, como a alimentação dos animais. Com o litro do produto cotado a R$ 2 e com gastos de aproximadamente R$ 800 com ração por dia, o prejuízo chega perto de R$ 20 mil.

O que houve? Teve solução?

Quando a equipe do Canal Rural entrou em contato com Caixeta nesta terça-feira, 15, ele estava em reunião com representantes da Enel, na sede do Sindicato Rural de Orizona. Segundo ele, a empresa justificou dizendo que galhos e árvores caíram sobre a rede elétrica, ocasionando o problema.

Em nota, a Enel diz que “fortes chuvas, com rajadas de ventos e raios, que atingiram a zona rural de Orizona nos últimos dias causaram severos danos à rede elétrica e interromperam o fornecimento de energia para alguns clientes”.

O presidente da comissão da Faeg, Vinícius Correia, rebate dizendo que a manutenção da rede elétrica não foi feita de forma adequada na época da seca, o que causou o problema.

Caixeta complementa que o problema é recorrente. “Sempre acontece, e eles nunca tomam uma atitude. A gente faz a reclamação e a energia não chegam. Falam que a reclamação não existia”, alega.

Leite desperdiçado

Após a repercussão do vídeo em que o produtor joga o leite na central da Enel, a empresa reforçou “as equipes para o atendimento imediatamente e o serviço foi restabelecido gradativamente. A distribuidora destaca que os locais são de difícil acesso e técnicos encontraram postes quebrados, cabos partidos e pontos com árvores sobre a rede”.

O retorno da energia elétrica nesta terça-feira deixou Caixeta ainda mais perplexo. “Se fosse coisa grave mesmo, não tinha sido restabelecido assim. Era coisa simples”, diz o produtor.

Para ele, a revolta também está ligada à postura da empresa. “Se fosse realmente coisa séria que tivesse acontecido, que a energia não fosse voltar, que avisassem, ligassem para gente. A gente poderia tirar o leite e doar, tem tantas pessoas precisando, passando fome. Mas você liga e eles prometem que vai voltar em uma hora. Você fica na expectativa, tira e perde o leite”, relata.

Vanderson Caixeta diz que a Enel não mencionou compensação financeira para os produtores que tiveram prejuízos. Vinicius Correia afirma que cada pecuarista afetado deverá entrar na Justiça separadamente para ser ressarcido.

Veja a nota completa da Enel

A Enel Distribuição Goiás informa que o fornecimento de energia em Orizona está normalizado. A companhia informa que as fortes chuvas, com rajadas de ventos e raios, que atingiram a zona rural de Orizona nos últimos dias causaram severos danos à rede elétrica e interromperam o fornecimento de energia para alguns clientes. A empresa esclarece que, em todas as ocorrências, mobilizou equipes para o atendimento imediatamente e o serviço foi restabelecido gradativamente. A distribuidora destaca que os locais são de difícil acesso e técnicos encontraram postes quebrados, cabos partidos e pontos com árvores sobre a rede.

A empresa ressalta que aumentou em mais de 50% o número de equipes na região para normalizar o fornecimento. Além disso, a companhia está disponibilizando para a cidade nesta terça (15), quarta (16), quinta (17) e sexta-feira (18) uma unidade móvel de atendimento, que oferece todos os serviços disponíveis nas lojas físicas, inclusive pedidos de ressarcimento. A companhia acrescenta que 3 equipes, incluindo um caminhão, estão de prontidão na região para evitar novas falhas e garantir a qualidade do fornecimento de energia.

Canal Rural